terça-feira, 5 de agosto de 2014

AI, NESTE PEITO
DORME SOBRE A RELVA
UM CAVALO CANSADO
RUBRA CARNE
QUE NÃO TEM GUARIDA
NEM SEQUER MEDIDA,
TALVEZ O NADA
O SONHO SEM TER DONO...
SOFRIDAS AS ESPERAS
CAIEM EXANGUES AOS PÉS,
SE NÃO ME GUARDAM
NÃO DEIXAREI SINAL.

E O QUE NASCE DOS DIAS
É APENAS UM ADEUS
DESPENHADO....

MARIA AUGUSTA RIBEIRO

Sem comentários:

Publicar um comentário